O novo eu de um aposentado

woman-sitting-door-stoop-21005133

Quase tudo o que você lê a respeito de aposentadoria diz respeito ao lado financeiro da questão. É bom que seja assim porque, em muitos sentidos, os recursos materiais são a base para quase tudo que desejamos realizar nos anos de  liberdade que nos cabem.

Porém, uma vez equacionado esse importante elemento do nosso futuro, há outros aspectos igualmente sensíveis a serem enfrentados. Em toda parte, somos identificados por aquilo em que trabalhamos. Frequentemente, uma das primeiras perguntas que nos fazem em um primeiro contato é: “o que você faz?”. E o que você responde quando surge esta pergunta?

Além do salário que propicia, o trabalho tranquiliza nossa consciência a nosso respeito. Sentimo-nos contribuindo para o bem geral e participando diariamente da realização de algo. Há problemas a serem resolvidos e coisas a serem aprendidas constantemente. Sem uma carreira, um vazio toma conta do nosso peito. Não é fácil, tanto que o Instituto de Assuntos Econômicos da Grã-Bretanha revela que 40% dos aposentados sofrem de depressão. O período de transição entre o emprego e o descanso pode ser pequeno, abrupto, por isso o ideal é preparar-se um pouco antes que aconteça.

 Planeje. Estamos sempre tão ocupados trabalhando que quase nunca pensamos nas dificuldades que a transição para a aposentadoria poderá criar. Os recém-aposentados farão o que sempre desejaram fazer, como comprar coisas ou praticar algum esporte todos os dias. Isso será divertido por um tempo, para logo depois perder o sentido. No longo prazo, precisamos de algo mais substancial do que apenas não trabalhar.

Não basta relaxar e ler um livro todos os dias. Você precisa de objetivos e desafios, como se estivesse realizando algo. Por isso é importante cultivar hobbies e interesses quando você ainda trabalha. Pessoas que trabalharam até 60 horas por semana podem sofrer ao se aposentarem porque investiram tanto na vida profissional que não tiveram tempo para nada mais.

Veja estas dicas que o ajudarão a  encontrar novos objetivos e significados para a aposentadoria.

Não se deixe estagnar. Faça uma lista de grandes desafios que você gostaria de enfrentar na aposentadoria. Aprender um novo idioma, escrever um livro, tocar um instrumento ou aprender fotografia são alguns dos desafios mais populares entre pessoas nessa situação.

Junte-se a uma coletividade. Tornar-se um voluntário, devolver o que a vida já lhe deu permitem que você empregue suas habilidades e experiências de maneira positiva. Muitas instituições precisam de colaboradores, não será difícil encontrar algo que lhe interesse. Sem falar no relacionamentos que você fará com pessoas parecidas com você.

Prefira uma transição lenta. Sabemos que muitos voltam a trabalhar porque não aguentam o choque do ócio repentino. Um trabalho em tempo parcial ou uma consultoria lhe darão a oportunidade de experimentar a aposentadoria e o que fazer com as horas de descanso.

Nem tudo funciona imediatamente. É possível que leve algum tempo para você se acostumar com a aposentadoria. Seja insistente no início, mas continue experimentando atividades diferentes, até que você encontre uma que funcione. Não se desespere se uma delas não der certo. Há muitos outros desafios para você enfrentar.

Sua identidade profissional demora para abandoná-lo, mas todos um dia precisamos renunciar a isso cedo ou tarde. Mas a verdade é que a aposentadoria é uma grande oportunidade para você criar um novo eu. Abrace-a e siga em frente. (JOE UDO)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.